Facebook Twitter YouTube
Home Sem categoria Reafirmando nossos valores fundamentais
formats

Reafirmando nossos valores fundamentais

Publicado em 30 de setembro de 2012

An english version of this blogpost is available here.

Em um mercado ainda altamente viciado em ideias e práticas proprietárias, em que o “lock-in” é a regra, faz parte de nosso dia a dia esclarecer nossos parceiros, fornecedores e clientes a respeito dos valores sobre os quais construímos a nossa empresa. Informações básicas como “você não precisa usar um software específico para modelar o objeto que será impresso em nossa máquina” são frequentemente recebidas com surpresa.

Em grande parte, nosso discurso e nossa prática cotidiana acabam sendo um misto de empreendedorismo e ativismo. E este parece ser um processo virtuoso. Trabalhamos com uma tecnologia que, apesar de não ser nova, ainda é novidade pra muita gente, além de ser certamente sedutora e maximizar o alcance da nossa mensagem sobre valores éticos e o compartilhamento de conhecimento.

Por outro lado, o compromisso com o software livre e com o hardware aberto é um dos elementos que mais valoriza e dá destaque ao nosso empreendedorismo. Antes de mais nada, decidimos abrir a empresa para podermos trabalhar, em tempo integral, em projetos que estivessem de acordo com nossos valores pessoais.

Por muito tempo, inspiramo-nos no trabalho da Makerbot, empresa dos EUA pioneira no mercado de impressão 3D com hardware aberto e software livre. Tanto a Makerbot quanto a Metamáquina surgiram em contextos similares, em meio a ambientes de colaboração da comunidade Do-It-Yourself. Ambas nasceram da iniciativa de membros de hackerspaces – o NYCResistor, em Nova Iorque, e o Garoa Hacker Clube, em São Paulo, respectivamente.

Diversas vezes, citamos a interação entre os projetos da Makerbot e a da Ultimaker, entre outras empresas, como exemplo de que a abertura de um projeto pode ser economicamente viável e de que a prática da colaboração, além de ter seu valor social, também é uma forma mais inteligente de se construir tecnologias.

Entretanto, as notícias dessa semana referentes ao lançamento de um novo modelo de impressora 3D da Makerbot vieram junto com o lançamento de um software proprietário (mais precisamente, um frontend proprietário para programas livres subjacentes) e com rumores de que os esquemáticos de hardware da Replicator 2 não serão publicados livremente, como era de costume acontecer com modelos anteriores.

É com tristeza que descobrimos que a Makerbot deixou de ser um ponto de referência e inspiração para nós da Metamáquina. Estamos desapontados com estas mudanças e esperamos que a má recepção do público convença seus executivos a mudarem de ideia e reverterem a situação. De todo modo, aparentemente, a confiança depositada pela comunidade foi perdida, e isso é algo muito difícil de se reconquistar.

Sabemos que existem diversos fatores comerciais e econômicos que, invariavelmente, resultam em mudanças de estratégia ao longo do ciclo de vida de um empreendimento.  Mas não podemos nunca deixar que essas mudanças corrompam nossos valores.

E é por isso que, à luz dos acontecimentos recentes nos EUA, queremos reafirmar nosso compromisso: não iremos jamais desenvolver hardware secreto e não iremos jamais promover software que desrespeite a autonomia e liberdade do usuário. Esses preceitos guiam a paixão pelo que fazemos e, portanto, são indissociáveis da nossa missão. Não haveria qualquer sentido em fazer diferente, e preferiríamos mil vezes fechar a empresa a fechar o código.

Filipe Moura
Felipe Sanches
Rodrigo Rodrigues da Silva
fundadores – Metamáquina

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn
No Comments  comments